Açores

Brexit terá “impacto indirecto” nos Açores

O Secretário Regional Adjunto da Presidência para as Relações Externas afirmou ontem, em Ponta Delgada, que o Governo dos Açores está atento à saída do Reino Unido da União Europeia e às implicações que uma eventual saída sem acordo possa ter para a Região.

“Evidentemente que teremos um impacto indireto desta saída da Grã-Bretanha da União Europeia porque fazemos parte da União Europeia e há muito impacto em relação ao todo europeu”, considerou Rui Bettencourt, que falava aos jornalistas à margem da reunião da Comissão Interdepartamental para os Assuntos Europeus e Cooperação Externa (CIAECE), sublinhando que “não haverá nenhum impacto particular em relação aos Açores”.

Para o governante, “pode haver algum impacto, mas são pequeníssimos impactos que não têm a dimensão que terá, por exemplo, na Madeira em relação ao turismo ou no Algarve, ou que terá em relação a algumas indústrias no todo nacional”. “Nós, aqui, não teremos esse impacto”, frisou.

O titular da pasta das Relações Externas adiantou ainda que, neste caso, “não serão necessárias medidas particulares”, mas salientou que “pode haver ajustamentos aqui ou ali, à medida que o

‘Brexit’ se for efectivando e em relação às condições que houver dessa saída”. “Não há nada de particular e nada de especial em relação aos Açores”, afirmou.

Rui Bettencourt disse ainda que nesta reunião da CIAECE, que contou com a participação de vários departamentos do Governo, além do ‘Brexit’ e do Plano de Preparação e Contingência para a saída do Reino Unido da União Europeia, também foi abordado o Quadro Financeiro Plurianual 2021-2027, numa altura em que o Parlamento Europeu, a Comissão e o Conselho “vão entrar em fase de diálogo e num debate a três”.

Para o Secretário Regional, os próximos tempos serão de “atenção, sensibilização e influência em relação aos Estados Membros”, embora persistam algumas dúvidas em relação ao próximo Parlamento e à aprovação do Quadro Financeiro tendo em conta o facto de haver eleições europeias a 26 de Maio.

“Temos aqui momentos de grande atenção que temos que ter nos próximos meses, até ao fim do ano e até 2020, que serão momentos em que será necessário estarmos extremamente vigilantes e continuar a lutar para que o que aconteceu no Parlamento Europeu continue a ser

efetivado, quer com os Estados Membros, quer com o próximo Parlamento”, afirmou.

Rui Bettencourt recordou o trabalho que tem sido desenvolvido pelo Governo dos Açores nesse sentido e as diversas reuniões que se têm realizado com os Estados Membros, com comissários europeus e com deputados europeus, manifestando desta forma a “posição clara e consensualizada” da Região, que resultou do envolvimento da sociedade civil e da sociedade política açoriana.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER