Açores

Açores: Sector do mar com 5% do volume de negócios

O sector do mar assumia maior relevância na Região Autónoma dos Açores, em 2017, ao representar 5% do volume de negócios gerado pelas empresas aqui sedeadas, lê-se num estudo do banco de Portugal a que o nosso jornal teve acesso.

No entanto, 81% do volume de negócios do sector era gerado por empresas com sede nas regiões Norte, Centro e na área metropolitana de Lisboa.

O sector do mar integrava 3 mil empresas em 2017, em todo o país, das quais 81% eram micro- empresas, lê-se no estudo do Banco de Portugal.

Ainda assim, 60% do volume de negócios foi gerado por pequenas e médias empresas.

Em 2017, o sector do mar integrava 3 mil empresas, gerava 4 mil milhões de euros de volume de negócios e empregava 26 mil pessoas, parcelas representativas de 1% dos valores associados ao total das empresas em Portugal para todos os indicadores.

O número de empresas em actividade no sector diminuiu marginalmente entre 2016 e 2017 (aumento de 1,7% no total das empresas).

Em 2017, foi criada uma nova empresa neste sector por cada uma que encerrou actividade.

Este valor foi inferior ao observado no total das empresas (rácio natalidade/mortalidade de 1,3).

O rácio natalidade/mortalidade foi superior na construção e reparação naval e nos transportes marítimos (1,5 e 2,3 respectivamente), ao passo que na pesca e actividades conexas este rácio foi inferior à unidade (0,8).

Em 2017, 81% das empresas do sector do mar eram microempresas, sendo o seu peso similar em todos os segmentos de actividade.

As pequenas e médias empresas (19% das empresas do sector) agregavam, no entanto, a maior parcela do volume de negócios (60%) e das pessoas ao serviço (59%).

Esta classe de dimensão assumia maior relevância no segmento da pesca e actividades conexas, tendo em conta o volume de negócios e as pessoas ao serviço (63% e 62%, respectivamente).

Já as grandes empresas (0,6% das empresas, responsáveis por 25% do volume de negócios e 22% das pessoas ao serviço do sector) assumiam menor relevância face ao observado no total das empresas (42% do volume de negócios e 29% das pessoas ao serviço do total das empresas).

O peso desta classe de dimensão era superior na construção e reparação naval, ao gerar 54% do volume de negócios deste segmento.

A pesca e actividades conexas agregava 77% das empresas, 74% do volume de negócios e 75% das pessoas ao serviço do sector.

Seguiam-se os transportes marítimos (12% das empresas, 18% do volume de negócios e 14% das pessoas ao serviço do sector) e a construção e reparação naval (11% das empresas, 8% do volume de negócios e 12% das pessoas ao serviço).


Autor(a):
Fonte:

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores
Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

Close
Close