Açores

Açores publicam 20 anos de registo oncológico

Foi apresentado na quarta-feira (16) em Ponta Delgada, o “Registo Oncológico nos Açores – 20 anos”, um registo oncológico rigoroso que irá contribuir para o aperfeiçoamento e avaliação das medidas em curso, e para a definição de novas políticas para o combate ao cancro”, que apresenta os dados de incidência do cancro por sexo, ilha e localização topográfica, ou seja, pelo local de origem do tumor primário.

O Secretário Regional da Saúde, que  falava na apresentação daquela edição, da responsabilidade do Centro de Oncologia dos Açores, que dá a conhecer os dados de incidência do cancro na Região entre 1997 e 2016 e que se enquadra no trabalho de investigação promovido pela Secretaria Regional da Saúde, denominado ‘Estudo sobre Cancro nos Açores’, realça que “esta publicação é um instrumento de trabalho para o planeamento e para a investigação científica, servindo de base ao estudo sobre as causas do cancro que estamos a realizar com o apoio das universidades dos Açores e de Coimbra, que estará concluído ao longo deste ano”, frisou.

“Os resultados vêm confirmar aquilo que são as políticas públicas em termos de prevenção primária” sublinhou, acrescentando que esta edição “confirma os principais fatores de risco associados à alimentação, ao álcool, ao tabaco e ao exercício físico”.

“Este livro é mais uma iniciativa coerente com o Plano Regional de Saúde, em especial com os programas em curso no Serviço Regional de Saúde”, sublinhou, recordando ainda o trabalho desenvolvido na prevenção secundária, com os programas organizados de rastreio oncológico de base populacional, e na prevenção terciária, com a melhoria dos cuidados primários e hospitalares e das condições de terapia e de suporte.

Entre 1997 e 2016 foram registados 19.230 novos casos de cancro nos Açores, dos quais 11.367 nos homens (59% do total) e 7.863 nas mulheres (41%), dando origem a uma média de 962 novos casos por ano.

Os cancros mais frequentes nos homens são os da próstata e do pulmão e, nas mulheres, os cancros da mama e do cólon e reto.

Para o titular da pasta da Saúde, esta publicação demonstra a importância que o Governo dos Açores atribui ao estudo, à prevenção e ao combate ao cancro no arquipélago.

Para o apuramento dos dados deste registo ao longo de 20 anos o Centro de Oncologia dos Açores contou com a colaboração dos três hospitais da Região e com algumas entidades privadas, nomeadamente laboratórios.

Rui Luís sublinhou essa cooperação e acrescentou que “é essencial que todos os intervenientes neste processo se mantenham tecnicamente aptos e disponíveis para continuar a assegurar, com o máximo de rigor e verdade, o registo oncológico”.

 

A24/MS

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER