Açores

840 quilos de cocaína apreendidos na Horta

A Polícia Judiciária (PJ) apreendeu cerca de 840 quilos de cocaína numa embarcação de recreio que fazia a travessia do oceano Atlântico e deteve dois homens e duas mulheres suspeitos de pertencerem a organização criminosa. A embarcação, com bandeira de um país estrangeiro, foi inicialmente localizada a navegar ao largo do Arquipélago dos Açores, entrando depois na marina da cidade da Horta, na ilha do Faial, onde foi alvo de busca.

Conforme se pode ler no comunicado da PJ, esta operação resultou depois de elementos da Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da PJ, da Marinha e da Força Aérea terem desencadeado no final da passada semana uma operação de combate ao tráfico ilícito de estupefacientes por via marítima da qual resultou “a localização e posterior apreensão de uma embarcação de recreio do tipo veleiro que estava a ser utilizada no transporte de elevada quantidade cocaína entre as Caraíbas e a Europa”.

Além da droga e da embarcação, foram também apreendidos diversos aparelhos de navegação e comunicação por satélite, telemóveis, tablets, um computador, quantias monetárias e documentação diversa.

De acordo com o comunicado da PJ, “no decurso dessa diligência e após minucioso e intenso trabalho desenvolvido pelas equipas da Polícia Judiciária, que contaram com o apoio de elemen- tos da Polícia Marítima em funções na cidade da Horta, foi possível detectar cinco compartimentos especialmente criados na estrutura da embarcação para o transporte de estupefacientes no interior dos quais foram encontradas 700 placas de cocaína com o peso bruto total aproximado de 840 kg”, refere a PJ.

A bordo encontravam-se dois homens e duas mulheres que foram detidos e que, de acordo com os elementos probatórios já coligidos, integram uma organização criminosa implantada em diferentes países do continente europeu e da América Latina.

A mesma nota dá conta que “os detidos, todos estrangeiros e com idades compreendidas entre os 21 e os 36 anos, foram presentes a primeiro interrogatório judicial, tendo sido aplicada a medida de coacção de prisão preventiva a dois deles”.

Segundo informação publicada no site da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, “a prisão preventiva foi determinada judicialmente por ter sido dado como fortemente indiciado a prática por aqueles do crime de tráfico de estupefacientes agravado e por se verificarem, em concreto, os perigos de fuga e de continuação de actividade criminosa”.

De acordo com a PJ, “a cocaína apreendida cedida a terceiros renderia uma quantia não inferior a 35 milhões de euros”.

A investigação prossegue agora sob a direcção do Ministério Público na Horta com o apoio da PJ e em cooperação com as autoridades de outros países.

Redes Sociais - Comentários

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER