Açores

411 indivíduos em vigilância nos Açores

A contra-análise realizada pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge confirmou o resultado positivo para infecção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 do caso detectado no último Sábado, 14 de Março, na ilha Terceira.

O caso positivo corresponde a uma mulher, magistrada, de 29 anos, residente na ilha Terceira, com história de passagem recente por Amsterdão, na Holanda, e Felgueiras, em Portugal continental.

“Neste momento, apresenta situação clínica estável e continua internada no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira”, referiu a Autoridade Regional de Saúde na manhã de ontem.

Oito casos suspeitos na Terceira e dois em São Miguel

Entretanto, à tarde, o Director Regional da Saúde revelou, em conferência de imprensa, que além deste caso confirmado, existem outros 10 casos suspeitos nos Açores a aguardar confirmação laboratorial e 411 indivíduos sinalizados sob vigilância activa.

“Para além dos oito casos que hoje de manhã [ontem] foram comunicados, juntam-se outros dois, no total de 10 casos positivos identificados nas últimas 24 horas. Oito estão relacionados directamente com o caso positivo e são da Terceira e os dois restantes são da ilha de São Miguel”, avançou Tiago Lopes, na conferência de imprensa, que ocorreu na ilha Terceira.

Segundo adiantou, relacionadas directamente com o caso confirmado estão 124 pessoas em vigilância activa pelas autoridades de saúde. Além destas, existem ainda 387 pessoas também em vigilância activa.

“No total, temos o total de 411 pessoas que diariamente são vigiadas pelas autoridades de saúde da Região”, referiu o Director regional.

Apenas a mulher infectada com Covid-19 está, neste momento, internada no Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira e está “clinicamente estável”, confirmou o responsável.

Interdição de portos da Terceira

Tiago Lopes destacou que, além da suspensão das ligações aéreas para a ilha Terceira operadas pela SATA, foi também recomendada a interdição das ligações por via marítima nos portos da ilha. Uma medida tomada face ao facto de, após o anúncio da suspensão dos voos, o executivo ter tomado conhecimento “de uma investida de alguns operadores turísticos a nível regional para operar ligações marítimas que pudessem colmatar a sus- pensão da via aérea”, lamentou o director regional.

“Entrei em contacto com a capitania do porto de Angra e irei entrar em contacto com a capitania da Praia da Vitória no sentido de recomendar a interdição das ligações marítima, exceptuando aquelas que dizem respeito à circulação de bens e de mercadorias para poder abastecer a Terceira” e as restantes ilhas do arquipélago, explicou.

Identificados casos de incumprimento de quarentena

Tiago Lopes revelou ainda terem sido detectadas situações de “não aceitação” das medidas e recomendações das autoridades regionais. E deu um exemplo: “Tivemos conhecimento de um caso particular de uma residente em território continental que, sendo residente no Porto, estaria para se deslocar à Região contrariando a recomendação. Dentro do trabalho feito pelas autoridades viemos a saber que tinha estado em contacto com três casos confirmados pelo novo coronavírus”.

“Há aqui toda a questão comportamental e a atitude dos cidadãos no que diz respeito à não adopção das orientações fornecidas ao longo dos últimos dias”, referiu o Director regional.

Há ainda situações de não cumprimento da medida de quarentena. “Temos estes casos identificados e iremos reportá-los ao Ministério Público”, garantiu Tiago Lopes.

Questionado sobre os materiais nos hospitais, Tiago Lopes salientou que é feito “um acompanhamento bastante próximo do stock existente na região ao nível de equipamento de protecção individual, bem como de recursos materiais”.

“O HSEIT, num mecanismo de solidariedade existente entre as diferentes USI da região, já foi objecto de um reforço proveniente das unidades de saúde”, frisou, referindo que no caso do hospital de Ponta Delgada também o será feito se necessário.

Há também em curso uma aquisição adicional de material “para que todas as unidades de saúde da região já estejam precavidas para o evoluir da situação” nos Açores.

Tiago Lopes revelou que haverá ainda um reforço de ventiladores. “Ao nível também de recursos materiais, temos prevista uma aquisição adicional de ventiladores para a Região, para uma eventual escalada da situação, de forma a que possamos dar uma resposta efectiva a casos mais críticos”.

Preços “exorbitantes” de máscaras e desinfectantes

O Director Regional da Saúde lamentou, por outro lado, a existência de um “surto de oportunismo” face à actual situação do Covid-19, lamentando o aumento dos preços dos equipamentos de protecção individual disponível para a população.

“Houve uma escalada exorbitante dos valores comerciais das máscaras e do gel desinfectante. Existe aqui, lamentavelmente, um grande aproveitamento da situação do surto do novo coronavírus”.

Tiago Lopes admitiu que as situações estão a ser acompanhadas e poderão ser tomadas medidas, como eventualmente a suspensão de actividade caso se esteja perante uma situação de prevaricação ou de aproveitamento abusivo da actual situação que se vive.

Diário dos Açores

Redes Sociais - Comentários

Fonte
Diário dos Açores

Artigos relacionados

Back to top button

DONATE NOW