África

Seca leva milhões de pessoas a enfrentar insegurança alimentar no Zimbábue

Mais de um terço de famílias rurais enfrentam insegurança alimentar no Zimbábue por causa da seca severa que afeta o país. O número corresponde a cerca de 3,5 milhões de pessoas, segundo o Programa Mundial de Alimentos, PMA.  Citando a recém-concluída Avaliação de Subsistência Rural do Comitê de Avaliação de Vulnerabilidade do Zimbábue, o porta-voz do PMA, Hervé Verhoosel, disse que a situação deve durar até setembro e piorar em dezembro.

O PMA disse que o auge do período de fome será entre janeiro a março de 2020. A previsão é de que 59% das famílias rurais, ou mais de 5,5 milhões de pessoas, enfrentem insegurança alimentar.

Hervé Verhoosel explicou que a dimensão da insegurança alimentar no Zimbábue leva a agência da ONU a planejar o aumento da ajuda humanitária para alcançar mais de 2 milhões de pessoas durante o pior período da temporada de escassez.

Até lá, segundo o PMA, as equipas vão continuar a fornecer assistência alimentar às populações mais vulneráveis. O objetivo é, ao mesmo tempo, continuar a ajudar as comunidades a construir resiliência às mudanças climáticas e futuros impactos.

Nos próximos nove meses, Verhoosel disse que a agência precisa urgentemente de US$ 173 milhões para atender a essas necessidades.

Fonte: ONU NEWS

Redes Sociais - Comentários

Tags
Mostrar mais

Artigos relacionados

Back to top button

 

Quer receber a edição semanal e as newsletters editoriais no seu e-mail?

 

Mais próximo. Mais dinâmico. Mais atual.
www.mileniostadium.com
O mesmo de sempre, mas melhor!

 

SUBSCREVER

Close
Close