Igualdade salarial de género, o que falta fazer?

Views: 337
Joana Leal

Em semana de comemorações muito se fala de igualdade de género. As mulheres conquistaram o direito ao voto, à literacia, ao trabalho, à independência, à condução, etc. Em Portugal a primeira mulher a votar foi Carolina Beatriz Ângelo. A médica viúva foi a primeira mulher a exercer o direito de voto na Europa Central e do Sul. Carolina exerceu o direito ao voto a 28 de maio de 1911 mas no Canadá as mulheres só conseguiram votar em 1919.
Em janeiro de 2018 a Islândia tornou-se no primeiro país do mundo a legislar sobre igualdade salarial entre homens e mulheres. A lei obriga empresas privadas e agências governamentais a apresentarem provas de que os seus funcionários recebem salários iguais pelo mesmo tipo de trabalho, independentemente de serem homens ou mulheres. A lei aplica-se a empresas com mais de 25 funcionários e quem não cumprir a lei é multado.
Segundo as estatísticas, em Portugal os homens continuam a ganhar mais 17,8% que as mulheres em cargos iguais. A ministra da Presidência admitiu em fevereiro que a proposta de lei sobre a paridade na administração direta e indireta do Estado está atrasada. Maria Manuel Leitão Marques disse que as estatísticas de paridade em vários domínios estão a evoluir e que, nas nomeações, o Governo tem estado a cumprir esse princípio.
O diferencial salarial entre mulheres e homens está estreitamente relacionado com os níveis de qualificação: à medida que aumenta o nível de qualificação, maior é o diferencial salarial entre homens e mulheres, sendo mais evidente entre os quadros superiores. Neste nível de qualificação, o hiato é de 26,4% na remuneração base.
A proposta de lei visa promover a igualdade entre géneros, prevenir e combater a violência contra as mulheres (física e psicológica), e combater a discriminação em razão da orientação sexual, identidade de género e características sexuais.
O ministro federal das Finanças do Canadá disse na quarta-feira que o país deve fazer melhor para acabar com a diferença salarial entre géneros embora reconheça que é uma meta difícil de alcançar. “Eu certamente que não aceito o argumento de que [o Canadá] deveria ocupar o 15º lugar da lista dos 29 países da OECD em termos de diferenças salariais entre homens e mulheres. Nós podemos fazer melhor”, admitiu Bill Morneau.
No Canadá, por cada dólar que um homem ganha numa hora, uma mulher ganha 88 cêntimos, ou seja, há uma diferença salarial de cerca de 12%.

Na semana das comemorações do dia da mulher, o Milénio Stadium foi até à rua ouvir a opinião das leitoras. A maioria é unânime e defende que ainda há muito para mudar em matéria de igualdade de géneros.

Vox Pop mulheres:

 

“Acho que o dia da mulher é 365 dias por ano”

“Devíamos receber flores todos os dias porque merecemos”

“As mulheres são lutadoras e trabalhadoras”

“Acho que ainda há muita descriminação, no trabalho, no dia-a-dia”

“Nós somos heroínas. Para além do nosso trabalho, limpamos, cozinhamos, somos mães…”

“Eu tenho uma filha mas se tivesse que educar um rapaz ensinava-o a fazer tudo. Educava-o para ser um bom homem e para ajudar a mulher. Não existem tarefas dos homens ou das mulheres, qualquer um pode fazê-las”

“Eu nasci em Portugal mas sinceramente cá não vejo grandes diferenças. É apenas geografia, o problema está na mentalidade das pessoas”

“Espero que a sociedade mude quando a minha filha crescer. Gostava que um dia as mulheres fossem mais reconhecidas e respeitadas” – Rute Silva 32 anos

 

“Nós trabalhamos o mesmo que os homens ou ainda mais e ganhamos menos. Isso não é justo.”

“Temos dois trabalhos, quando terminamos um chegamos a casa e começa todo de novo. Cozinhar, tratar da roupa, fazer mercearia, lavar a louça, deitar as crianças…”

“Acho que as mães solteiras continuam a não ser respeitadas e as mulheres não fazem filhos sozinhas”

“Os meus irmãos cozinham, lavam roupa, arrumam, limpam, etc. Fazem o mesmo que qualquer mulher. E tem que ser assim, agora é 50% – 50% ”

“A minha sogra educou as filhas a fazerem tudo mas os filhos não sabem fazer nada dentro de casa. Acho que está errado”

“Os melhores chefs do mundo são homens. Já não faz sentido serem as mulheres a cozinharem”

“Antigamente a mulher passava o dia em casa. Mas hoje temos empregos como os homens. Qualquer um de nós pode chegar a casa e cozinhar”

“Eu tenho amigas portuguesas que cozinham e outras não. Em relação às canadianas é exatamente o mesmo. Penso que está relacionado com a educação e com a cultura”

“Os homens têm que ser mais modernos. Lavar louça não mata ninguém”

“Segundo as estatísticas as mulheres têm menos acidentes. Há muita coisa que podemos até fazer melhor do que os homens”

“Acho que precisamos de mais mulheres na política, somos organizadas e lutamos pelos nossos objectivos”

“A mulher tem que ensinar o homem e explicar que se os dois trabalham qualquer um pode fazer as tarefas domésticas”

“Alguns homens acham que podem falar connosco como lhes apetece”

“Gostava que um dia as mulheres ganhassem o mesmo que os homens” – Stacy de Sousa 30 anos

 

“Na minha opinião comemorar o dia da mulher é um preconceito. Não existe dia do homem por isso não faz sentido. Acho que com as misses é exatamente igual. A mulher é tratada como um objecto sexual numa montra”

“A mulher tem que provar o seu valor duas vezes, no trabalho e em casa e isso é uma tristeza. Ainda existe muito preconceito na sociedade”

“Acho que as mulheres têm mais deveres do que direitos”

“Lá em casa eu é que cozinho porque o meu marido foi educado de uma forma muito conservadora”

“Ninguém nasce preconceituoso, a educação é a chave de tudo”

“Se tivesse um filho gostava que ele fosse independente. Assim tinha a certeza de que ele não ia casar apenas para ter uma empregada doméstica”

“Acho que no Brasil é tudo mais autêntico, mais real. Aqui no Canadá é tudo manipulado. Mas há descriminação e abuso em todo o lado” – Maria Rita 45 anos

 

“Já fui assediada, sobretudo a nível psicológico. Acho que quase todas as mulheres já foram assediadas durante a sua vida”

“No Brasil temos o concurso Miss Bumbum; no sambódromo só temos mulheres despidas e nas próprias novelas brasileiras o corpo da mulher é sempre mais explorado”

“Se um homem conquista muitas mulheres é porque é lindo mas se for ao contrário é porque a mulher não é decente”

“Antigamente a mulher tinha que casar e cuidar do marido mas acho que hoje em dia isso está a mudar”

“As mulheres não são muito unidas e às vezes saímos a perder com isso” – Andrea Santos 27 anos

 

Comments: 0

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.