Mentiras políticas

Views: 221

Manuel Alexandre

Vastíssimas são as vezes que promessas são feitas durante a campanha eleitoral a fim de convencerem o público a votar neles.
Vou falar um pouco sobre o tempo de eleições em Toronto no ano 2015 quando o MP Justin Trudeau ficou um tanto ou quanto integrado com os problemas dos trabalhadores indocumentados da nossa comunidade, garantindo que iria analisar a situação e encontrar uma solução.
Em 2016 visitei Otava para dar a conhecer aos novos políticos a tristeza e a grande diferença que continua a existir nos números de residentes permanentes entre os grupos étnicos da Ásia e da Europa, mais precisamente Portugal e Itália.
Com os números corretíssimos e dados comprovativos que não mentiam, coloquei-os a par da situação. Foram vários os MP’s com quem falei, incluindo o antigo Ministro da Imigração, John McCallum, que nos ouviu porque formou um Comité de MP’s para se integrarem dos problemas dos indocumentados nesta província, sobretudo no sector de Skilled Labour.
No ano 2016 foram várias as reuniões que tivemos com vários MP’s. Vou ser mais preciso com o incansável MP Peter Fonseca e com a MP Sonia Sidhu, para nos darem notícias do andamento em Otava acerca do projeto piloto para trabalhadores indocumentados no sector da construção civil.
O leitor pergunta : O que é o projeto piloto?
É um projeto que iria facilitar os indocumentados a adquirirem a residência permanente sem o conhecimento da língua inglesa mas também dentro dumas linhas de direção que tinham de ser estabelecidas tais como:
Terem registo criminal limpo, pagarem impostos, residirem neste país há pelo menos dois anos e terem contracto de trabalho. Obviamente que iria começar pelo sector da construção.
A 23 de dezembro de 2016 foi feita uma reunião no escritório da MPP Sonia Sidhu em chamada pelo nosso MP Peter Fonseca para nos adocicar o Natal com boas notícias.
Presentes nesta reunião estiveram vários membros do Comité UWC e também muitos empresários portugueses que lhes foi dada a oportunidade para se pronunciarem acerca da falta de trabalhadores não só da construção mas no sector automóvel, indústria alimentar e panificação.
Foi falado também de que primeiramente se iria trabalhar no projeto piloto para Skilled Labour e após o sucesso deste mesmo seguir-se-iam outras profissões. O número de mil pessoas foi mencionado para iniciar este projeto e foi-nos pedido sigilo.
Concordámos e este foi o rebuçado para o Natal para o Comité que finalmente estávamos a ver a luz ao fim do túnel.
Esta luz continuou a brilhar por algum tempo. A 27 de maio de 2017, Fonseca convocou uma reunião e tendo ele próprio feito todos os convites para então conhecermos o novo Ministro da Imigração Ahmed Hussein e deu-nos a oportunidade para expor os problemas que tínhamos debatido até ali.
Vários foram os oradores da nossa comunidade no qual na maioria referiram-se à falta de mão-de-obra classificada. Outros referiram o mesmo problema no sector dos media portugueses, etc.
O Ministro da Imigração discursou mostrando-se um tanto ou quanto interessado em continuar a aperfeiçoar o projeto piloto.
Todos entendemos que o sucesso tinha sido obtido com o novo Ministro da Imigração mas aproximadamente três meses depois recebo um telefonema do nosso herói Peter Fonseca a referir que o projeto piloto tinha sido parado e que a partir de agora seria melhor falar com o Ministro da Imigração.
A minha boca secou de tal forma que parecia que tinha apanhado uma grande bebedeira no dia antes. Escusado será dizer que fiquei muito triste e não tinha apanhado a tal dita bebedeira.
Dias antes do Peter Fonseca me ligar tinha sido convidado para uma Town Hall Meeting a realizar em Brampton dia 16 de Dezembro e me dava a oportunidade de fazer qualquer pergunta ao Ministro da Imigração.
Prometi ao Peter Fonseca de que iria fazer essa mesma pergunta. Nesta reunião então fui o primeiro a fazer a pergunta em frente a mais de 300 pessoas onde referi o descontentamento do número baixíssimo de residências permanentes a portugueses e italianos e lhe perguntei o seguinte: “Porque é que o projeto piloto para Skilled Labour parou?”.
Relembrando de que se tinha pronunciado a favor no Luso Charity em Mississauga meses antes. A memória é curta pensei eu mas não a minha.
A resposta foi simplesmente esta: “Manuel eu não parei o projeto piloto, quero aperfeiçoá-lo e não sei quem tal te disse. “Eu não quis mencionar o nome do nosso herói mas eventualmente irá saber quem foi.
Outra reunião foi convocada por Tony Letra em Dezembro de 2017 que acabou por ser numa igreja perto do escritório do Ministro da Imigração. Novamente foram feitas as mesmas perguntas, as respostas sempre que sim, que suporta o projeto piloto mas que o quer estender a outra profissões e comunidades.
Há dois meses recebi uma carta do Ministro da Imigração dizendo o seguinte: “não há nenhum projeto piloto activo” ou mesmo afirmando que nunca ouve tal projeto.
Admiradíssimo com tal carta pergunto a mim mesmo será que os políticos andam todos numa redoma de vidro, onde se esquecem do que publicamente dizem e apoiam? Tal redoma de vidro tem que ser partida. O respeito pelo público da parte dos políticos ao fazerem determinadas afirmações devem ser chamados à atenção e lembrarem-se de que somos seres humanos e tal respeito é exigido.
Para terminar, nesta altura de aniversário da revolução em Portugal, quero desejar um dia de Portugal feliz. Continuaremos a dar mais notícias que diariamente afetam a nossa comunidade trabalhadora.

Comments: 0

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.